Frase de amigo

"Repaginou o Blog. Repaginou a vida." - Silvio Afonso

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Dia Internacional da Igualdade Feminina - Parabéns às Mulheres!




















Dia Internacional da Igualdade Feminina

Comemorado hoje, dia 26 de agosto.
Parabéns às Mulheres! Abaixo à discriminação!
Hoje vou citar algumas mulheres brasileiras que revolucionaram sua época por conta da coragem e determinação em derrubar regras e abrir horizontes.
A lista é grande, graças a Deus!
Mas não dá para citar todas, infelizmente.
Vamos começar pelas Artes...
Naquele tempo "mulher que prestasse" tinha que  tocar piano e bordar.
Nada mais.


Nair de Teffé



Imagem by Net

Nair de Teffé Von Hoonholtz, a bela e jovem, esposa e primeira-dama do então presidente do Brasil, Hermes da Fonseca, foi a primeira mulher cartunista do Brasil.




Ousada, corajosa e inteligente, Nair de Teffé introduziu o maxixe (tipo de dança de salão criada pelos negros) nos saraus dos salões do palácio presidencial, escandalizando a sociedade brasileira, habituada a cultivar somente os costumes da Europa.
O violão também foi um instrumento inovador já que todos optavam pelo piano.
Nair nascera em 1886, de família rica tradicional, seu pai era o Barão de Tefé.
Por um tempo morou na França onde foi educada nos moldes europeus como toda moça rica da época.


Imagem by Net


Posicionou ao lado de grandes artistas plásticas como Anita Malfatti, provando que a mulher podia ir além do que os homens esperavam.
Cartunista, pianista e cantora, Nair de Teffé  chegou a apresentar em Londres alguns trechos de "O Guarani", de Carlos Gomes.
Criou a Troupe Rian (seu nome ao contrário), onde montou peças e lançou artistas. 
Como a renda adquirida ajudou construir a Catedral de Petrópolis, a mesma que abriga os restos mortais da família imperial (D. Pedro II e esposa, Princesa Isabel e esposo).
Quando se casou com o presidente da república, o Marechal Hermes da Fonseca, homem bem mais velho do que ela, todo mundo criticou o casal, principalmente os moralistas.




Imagem by Net


Eles? Não estava nem aí!
Nair de Teffé continuou sua jornada, participando da Semana de Arte Moderna de 22, foi membro da Academia Brasileira de Letras Fluminense e a primeira presidente da Academia de Letras do país.
 E por fim teve um casamento feliz até ficar viúva, em 1922.




Fase difícil onde ficou muito deprimida.
Foi então que Nair de Teffé retomou seus trabalhos como cartunista e adotou três crianças.

Dra. Nise da Silveira




"É necessário se espantar, se indignar, e se contagiar, só assim é possível mudar a realidade"

Dra. Nise da Silveira



"Mulher que prestasse" deveria ficar atenta à saúde dos filhos.
E não xeretar na Medicina de igual para igual com os homens.
Psiquiatra alagoana, nascida em Maceió, no ano de 1905.
Revolucionou totalmente a Psiquiatria no Brasil, introduzindo métodos humanizados aos pacientes. 
Um deles foi a terapia que explora  a relação afetiva entre pacientes e animais 
Dra. Nise foi a primeira psiquiatra que interagiu    cães e gatos com os internos dos sanatórios, pois acreditava que essa convivência estimularia a parte afetiva dos pacientes.
E deu certo!
Até então os pacientes eram destinados somente aos tratamentos por meio de eletrochoques, lobotomia e outros métodos agressivos e desumanos.
Desocupados, passavam o tempo entregues ao "nada", porque o "nada" era que a sociedade   destinava a todos eles.
A partir da Terapia Ocupacional essas pessoas passaram a ter uma vida digna e produtiva no interior dos hospitais psiquiátricos, dedicando suas habilidades ao Artesanato & Artes plásticas.
Aliás, a pintura, foi destaque por contas das obras maravilhosas que os pacientes passaram a criar, mostrando por meio das telas seu universo confuso. 
Ela também foi pioneira na psicologia junguiana no Brasil.




Foi duramente criticada pelos colegas, mas continuou sua caminhada em busca de uma nova visão na saúde mental.
Como o tempo suas pesquisas foram merecidamente reconhecidas pela classe médica, sendo que a mesma recebeu condecorações por parte dos brasileiros e estrangeiros.


Imagem by Net


Grande mulher!
Embora fosse pequena na estatura e de aparência frágil, demonstrou ser um gigante em força e coragem.
Seu legado, fruto da persistência, perpetua até hoje.
Se atualmente a saúde mental tem outros horizontes foi por conta dessa mulher fantástica que libertou as "mentes atrofiadas" dos seus colegas, que incoerentemente tratavam os "doentes  de cabeça" - como se dizia na época.
Visionária, Dra. Nise da Silveira revolucionou uma área importante da medicina, a Psiquiatria, sem medo de errar. 
Deveria ter ganhado o Nobel.




Érica Aparecida Videschi Bastos


Crédito da Foto: Divulgação Transurc / Gustavo Magnusson


Érica Aparecida Videschi Bastos, casada, mãe de três filhos, é a primeira mulher a dirigir um ônibus articulado na cidade de Campinas/SP.
Sim, esse ônibus enorme que parece uma lacraia.
Mulher, só podia ser mulher! - ainda é possível ouvir essa frase no trânsito ou tô enganada?




Antes de encarar essa parada a bela jovem foi cobradora de ônibus.
Diante da necessidade de ganhar mais dinheiro, optou pela profissão de motorista.
Passou pelo treinamento da empresa e atualmente faz parte da escala.
  "O tamanho assusta um pouco, mas agora é fácil manobrar" - disse ao repórter.
A vaidade?
Sempre presente por meio dos cabelos arrumados e das unhas bem feitas.
Para os motoristas, dirigir um ônibus articulado é um dos degraus mais altos da carreira.
E o mais difícil também.





















Imagens by Net


Famosas ou anônimas? Não importa!
A busca pela igualdade não é uma guerra, mas um direito que assiste às mulheres
Reconhecimento é bom e a gente agradece!



Lindo finde a todos!

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Passeando na Rua 25 de Março - São Paulo


Passeando e fazendo compras na 
Rua 25 de Março


Fazia tempo que... 
Eu não sassaricava na Rua 25 de Março, em São Paulo.
Diferente de muitos, minha ótica com relação à cidade é bem diferente.
  Encaro-a não somente como um polo de compras, mas também como oportunidade para explorar o lado cultural, que fervilha por todos os cantos.




Porém, eu não vou negar que AMO sassaricar nas lojas!
Aprendi  isso com a minha mãe.
   Desde criança adorava perambular na cidade com ela.


RUA 25 de MARÇO


Todo mundo a conhece ou já ouviu falar.
É o maior polo de compras da América Latina.
 Quem gosta de bijouteria, por exemplo, garanto que três dias serão poucos para conhecer metade das lojas.
Além das bijuterias, podemos encontrar outros artigos tais como: roupas de cama, mesa e banho, produtos eletrônicos, cosméticos, material para artesanato, decoração em geral, artigos de festas, fantasias, calçados, roupas entre outros.
  Ah, não posso esquecer de citar os doces sírios!
Um mais gostoso do que o outro.
  Afinal, foi exatamente neste espaço que os comerciantes árabes e judeus estabeleceram seu comércio.
Seguidos posteriormente pelos indianos e coreanos.

























Distraído, meu filho nem notou que eu o clicava.
E vamos subir a ladeira!
Ladeira Porto Geral que dá acesso à Rua 25 de Março.
Uns sobem, outros descem.
Sabe o que notei também?
O número de transeuntes diminuiu bastante por aqui.
Claro, a crise espantou muita gente!
Por outro lado, a quantidade de policiais nas calçadas aumentou, garantindo maior tranquilidade .
Porém, o lance é ficar sempre esperta (o)!
 Não vacilar para o "mão leve".



















Um olho na vitrine, outro na arquitetura dos prédios antigos...
Logo abaixo, o Edifício Altino Arantes, conhecido popularmente como "Banespão".
Um dos símbolos da cidade de São Paulo.










O dia começou ensolarado e terminou nublado,  com muito frio.
Um frio seco, sem vento, típico de Sampa.
Engraçado, não gosto do frio, mas o frio de Sampa me excita.
Posso dizer que curto pra caramba!
Vá entender? Rsrsrs
Na volta para casa... 
Uma parada na estrada para lanchar no Restaurante Frango Assado.
Como sempre, optei pelo pingado e o pão de semolina na chapa.
Faça sol ou faça frio, AMO!



Aproveitei para adquirir alguns livros lá mesmo...

AS REGRAS DE OURO DOS CASAIS SAUDÁVEIS

Augusto Cury 


O CAMINHO DA PAZ - Mahatma Ghandi











"O amor inteligente não pode ser uma praça de competição, mas uma praça de generosidade e de investimento mútuo."

Augusto Cury

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Mulher Rendeira homenageada na Cerimônia de Encerramento da Olimpíada Rio 2016

Photos by Nadja P.

Mulher Rendeira


Olé, Mulher Rendeira,
Olé mulhé rendá
Tu me ensina a fazer renda,
Eu te ensino a namorá.
Olé, Mulher Rendeira,
Olé mulhé rendá,
Tu me ensina a fazer renda,
Que eu te ensino a namorá...




Olá!


Bonita homenagem às Mulheres Rendeiras na cerimônia de encerramento da Olimpíada Rio 2016!
Mulheres batalhadoras e exímias artesãs que realizam trabalhos lindos, criados com mãos habilidosas que encantam brasileiros e estrangeiros.
Si, elas tecem rendas delicadas que surgem de belas tramas!


  Imagem by Net

 Essas artesãs estão espalhadas por todo o Nordeste!
       Maceió, Fortaleza, Natal, João Pessoa, enfim, as mulheres rendeiras contribuem para sustentar a família bem como repassam essa arte de mãe para filha. 
Tecem nas calçadas, debaixo dos coqueiros, na varanda, e até mesmo na praia.
Logo abaixo, algumas peças com Renda Renascença, que cliquei durante as minhas andanças.

RENDAS BY BRASIL



























































A jovem artesã, acima, é conhecida no exterior pelos seus belos labirintos, conhecido como crivo.
Uma produção de renda à partir do desfiamento do tecido, e posterior preenchimento dos sulcos com linha, que produz desenhos variados.
Falo "jovem", porque ela tem um espírito alegre e continua ativa no seu trabalho apesar da idade cronológica avançada.
Francamente não me lembro do seu nome, mas seu entusiasmo me marcou profundamente, quando a conheci em João Pessoa/PB. 






Olimpíada Rio 2016




Embora não tenha concordado com sua realização neste momento crítico que o meu país se encontra, confesso que gostei do que vi!
A cerimônia de abertura e encerramento marcaram definitivamente esse evento por conta da alegria e descontração, características marcantes do povo brasileiro.
Também gostei das cores destacadas nas apresentações!
Que tornou um acontecimento menos sissudo do que o habitual. 
Já bastam as tragédias do mundo, por qual motivo inserir mais seriedade? 
E seriedade não faltou nas apresentações dos atletas brasileiros e estrangeiros.
A não ser alguns gringos que tentaram usar a "má fama" do Brasil para promover baderna e mentir.
Se deram mal. 
A verdade dos fatos foi descoberta e acabaram manchando a própria reputação (?) diante do mundo e do seu país, os EUA, que odeia a mentira.




Parabéns a todos os atletas brasileiros e estrangeiros que participaram da Olimpíada Rio 2016, ganhando ou perdendo!
Porque os perdedores também merecem nossa homenagem e respeito.
Outro ponto que gostei foi a exposição de nossa cultura e costumes por meio da música brasileira, linda por excelência!
 Intérpretes maravilhosos se apresentaram da mesma forma brilhante que realizam seus shows há muito tempo.
Paulinho da Viola, Martinho da Vila, Lenine, Jorge Benjor, foram alguns dos que se apresentaram, mas é certo que a lista poderia ser enorme!
O que dizer de ouvir o Hino Nacional diante do acompanhamento de 21 atabaques?
Sim, o Brasil tem suas raízes negras por mais que a Cultura Afro sofra preconceitos até hoje.
 Outro destaque que gostei foi o grande número de afrodescendentes durante as apresentações onde em cada cenário trazia um tema relacionado à nossa cultura/costumes!
Sim, somos um país hiper miscigenado embora muita gente finja não saber. 
Grande Tarsila do Amaral
Teve suas  belas  e coloridas obras projetadas durante uma apresentação.
Como ela podia faltar? 
Era uma "adoradora de cores" e da brasilidade.
Os efeitos visuais me surpreenderam também!
Além da beleza e praticidade, as mensagens foram entendidas, o que considerei mais importante.
Uma festa com cara de Brasil, não resta dúvida!
Que finalizou com a apresentação de algumas escolas de samba do Rio de Janeiro, lembrando o Carnaval.
O fato é que todo mundo caiu no samba.
Dançando bem ou não, lavaram a alma após dias de intenso estresse e cansaço.
Que venha Tóquio 2020!





Feliz semana!

"Abra teu coração ou eu arrombo a janela"

"Abra teu coração ou eu arrombo a janela"
Chico Buarque